sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Desfibrilhacão mental




Bip... Bip... Bip...
É o som do batimento artificial de um coração
Bip... Bip... Bip...
É o som de quem vive um coma profundo
Bip... Bip... Bip...
E o som de quem já não sabe o que é viver sem o desejo, a paixão
Bip... Bip... Bip...
É o som que ao longo destes tempos me tem acompanhado,
de dia e de noite fazendo-me crer de que é possível viver
sem aquilo que se deseja!

... ... ...

... ... ...

Fez-se um silêncio!

... ... ...

inconscientemente deixei de respirar por breves momentos,
abrindo os olhos sem pestanejar deixei-me envolver por cada palavra
verdadeira que me escreveste e todo esse silêncio foi ganhando sentido

PUUMMM...



Após expulsão de confusos sentimentos
O meu coração reagiu ao ler tão doce e sincera declaração

Pum Pum... Pum Pum...

O meu coração voltou a bater naturalmente

Pum Pum... Pum Pum...

Com a mesma vontade de outrora,
saí do coma com a vontade que sempre tive em te viver
e de viver o meu sonho junto a ti...

Mas...

... ... ...

O Silêncio voltou... e as tuas palavras foram caindo no esquecimento
Fazendo-me crer de que foi tudo uma ilusão, um coma dentro de outro,
No entanto e desta vez
Não voltarei a cair em coma nenhum

Não, Não quero voltar a ouvir os sons artificiais que me ligavam a vida
Quero sim viver no meu egocentrismo fazendo feliz os que me rodeiam deixando-me
vencer por sonhos que não passam disso mesmo...





Prefiro o teu silêncio que a vontade de seres o que não podes ser!

3 comentários:

Palavras de Insanidade disse...

Profundo e realista..gosto do teu renovado eu..é bom reviver o passado em pensamento, acreditando sempre que não podemos refazer nem reviver historias que já passaram,mas sempre relembrando com carinho aquilo que essas mesmas historias nos fizeram sentir e viver!GOSTEI!!!beijinhos

Alex disse...

Os corações mais fracos não devem resistir ao poder das tuas palavras...

Deixo-te aqui um excerto para reflectires, do autor de "O Princepezinho"

ACASO
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso.

"ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY"

Mamã do feijãozinho disse...

Vi o teu blog através do da Sal e não podia deixar de fazer um comentário! Adorei a forma como escreveste este posts... e' mto bonita a capacidade que tens de passar para o "papel", aquilo que sentes... parabéns e continua a escrever! :) beijinhos! Sammie