terça-feira, 15 de junho de 2010

Kevin Costner luta contra a maré negra no México

Kevin Costner pode ter uma solução para conter os prejuízos causados pelo derramamento de petróleo no Golfo do México.
O actor vai emprestar à British Petroleum (BP) máquinas com tecnologia desenvolvida por ele e por um grupo de cientistas, que ajudam a separar o petróleo da água.




O próprio actor, ecologista e pescador nas horas vagas, viajou para Nova Orleães para apresentar a invenção e propor o seu uso para salvar o delicado ecossistema e, sobretudo, evitar outro desastre da magnitude do derramamento provocado em Março de 1989 pelo petroleiro Exxon Valdez, no Alasca.
Foi precisamente essa tragédia ecológica que motivou o actor de 55 anos a investir em tecnologia que pudesse atenuar os efeitos de outro acidente similar. O Exxon Valdez derramou 37 mil toneladas de petróleo.
Preocupado com o impacto no ecossistema do acidente do petroleiro no Alasca, Costner comprou tecnologia incipiente do Governo americano em 1995 e investiu US$ 24 milhões de seu próprio dinheiro para desenvolve-la para o sector privado.
«Kevin viu o derramamento do Exxon Valdez e na qualidade de pescador e ecologista, não acreditou que não tivéssemos uma tecnologia separadora (do petróleo da água)», disse John Houghtaling, advogado e parceiro do actor na empresa Ocean Therapy Solutions, da qual é director-geral e que desenvolveu a tecnologia.
O director-geral de operações da companhia, Doug Suttles, assegurou que a BP autorizou o uso de seis das 32 máquinas da Ocean Therapy Solutions, para testes.
Os equipamentos são capazes de purificar 97% da água contaminada e Houghtaling explicou à imprensa que a empresa está a trabalhar para desenvolver tecnologia e conseguir separar os 3% restantes.
As máquinas, segundo Costner, «estão preparadas para serem utilizadas e ajudarem a resolver os problemas».

Fonte: 

Um comentário:

Rita P. disse...

Boa! Subiu na minha consideração!!!